Plásticos nos oceanos - Imagem de plástico nas praias

Plásticos

O inimigo dos Oceanos

O que são os Plásticos

Os plásticos são uma material composto por polímeros (cadeias de compostos químicos dotados de grande flexibilidade), permitindo que se possam moldar através da ação de temperaturas e pressão.

Atualmente, são produzidos através de combustíveis fósseis numa série de processos que começa com a destilação do petróleo.

História

Um dos primeiros usos do plástico ocorreu há 3500 anos, pela civilização olmeca, que produzia um plástico através da seiva de árvore-de-borracha. 

Passados cerca de 3 milénios, no século XIX e XX, foram criados os plásticos sintéticos, nomeadamente a celulóide e a baquelite, alternativas económicas aos plásticos obtidos a partir das plantas.

Tipos de plástico: termoplásticos e termorígidos

Atualmente, existem diversos tipos de plásticos dependendo dos químicos usados na sua produção, sendo que podem ser identificados através do “código de identificação das resinas”. 

No entanto, existe uma divisão mais ampla de acordo com a possibilidade de moldar o plástico após o primeiro arrefecimento.

Assim, existem os termoplásticos, que podem ser fundidos e moldados várias vezes, sendo facilmente recicláveis.

Pelo contrário, os plásticos termorrígidos, também conhecidos como termofixos, não podem ser moldados após o primeiro arrefecimento, tornando o processo de reciclagem muito complexo.

São exemplos de termoplásticos os PET, PEAD, PVC, o polietileno de baixa densidade, o polipropileno e o poliestireno. Já o poliuretano, o acetato-vinilo de etileno e a baquelite são alguns dos plásticos termofixos.

Podes descobrir mais sobre cada tipo de plástico aqui.

Destino dos Plásticos

Os plásticos, no fim da sua vida útil, tornam-se obsoletos, o que requer a sua eliminação.
Mas, para onde vão os plásticos após o fim da utilização?

Descartado para aterros e para o meio ambiente

Incinerado

Reciclado

Os ecossistemas mais afetados pelos plásticos são, sem margem de dúvida, aqueles que se localizam nos oceanos. Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), os oceanos recebem cerca de 13 milhões de toneladas de plástico anualmente, quantia esta que equivale a despejar um camião de lixo no oceano por minuto.

Segundo investigadores da Universidade da Geórgia, se as descargas continuarem a acontecer, em 2025 passaremos a descarregar até 17,5 milhões de toneladas anuais. Já o Fórum Econômico Mundial (WEF)  prevê que a este ritmo, em 2050, podemos vir a ter mais toneladas de plástico do que peixes no oceano.

Microplásticos

Outro grande problema são os microplásticos, que são minúsculos pedaços de plástico com menos de 5 milímetros. Os microplásticos dividem-se em duas categorias de acordo com a sua origem:

Microplásticos primários

Libertados diretamente para a natureza. Um dos principais exemplos é na lavagem de roupas sintéticas.

Microplásticos secundários

Resultam da degradação dos plásticos de maior dimensão, como sacos e garrafas de plástico. Representam entre 69 e 81% dos microplásticos presentes no oceano.

Lavagem de roupas sintéticas

Quando colocamos roupas sintéticas, feitas a partir de fibras de plástico, a lavar são libertados microplásticos. Estes vão para as centrais de tratamento de esgotos, que deixam passar 40% dos microplásticos para o oceano, contribuindo para o piorar da situação.

Sabias que?

A Quénia castiga o uso de qualquer saco de plástico com penas de até quatro anos de prisão?

Em 1950, produzíamos 2,3 Milhões de toneladas de plástico e, passados 65 anos produzimos 448 Milhões de toneladas!

A produção de plástico pode vir a duplicar até 2050 em relação a 2015?

Em Portugal usamos 721 milhões de garrafas de plástico e 1000 milhões de palhinhas anualmente!

Porque é que os animais, principalmente marinhos, se alimentam de plástico?

Com a presença de plásticos no oceano, diversos animais são avistados a ingerir plástico e/ou com plásticos no interior do corpo.

Um dos exemplos mais conhecidos é de um cachalote com mais de 100 kg de plástico no estômago que deu à costa na Escócia em novembro de 2019. Mas não são só baleias que ingerem plástico, aves, peixes e muitos outros animais alimentam-se atualmente de plásticos. Porque será?

A principal razão da ingestão de plástico é o fácil acesso ao plástico! Até nas Fossa das Marianas, o local mais profundo no nosso planeta, já se encontram plásticos. 

Mas, além da quantidade, o plástico possui um aspeto muito semelhante às presas de diversos animais marinhos, confundindo estes animais que acabam por ingerí-lo. Por exemplo:

  • As palhinhas são semelhantes a minhocas, alimento de diversas aves. 
  • Os sacos de plástico transparentes que flutuam no oceano enganam as tartarugas, devido à sua semelhança com algumas espécies de medusas.

Finalmente, de acordo com um estudo realizado em 2019, os plásticos após algum tempo no mar, adquirem um odor a enxofre, semelhante ao cheiro do krill. Assim, nos locais onde existe plástico, os animais cheiram o enxofre e pensam que existe alimento nesse local, levando à ingestão do plástico.

Qual o efeito do plástico nos animais?

O efeito do plástico nos animais pode ser bastante óbvio mas também bastante subtil!

Ao ingerirem o plástico, este não é digerido acabando por ficar nos seus estômagos, onde deveriam estar alimentos. À medida que ingerem mais plástico, ingerem menos alimentos, acabando por morrer à fome ou por terem os seus órgãos internos perfurados pelo plástico.

No entanto, só a simples presença dos plásticos nos oceanos leva a que certas toxinas nestes presentes sejam libertadas, tornando certas zonas nos oceanos incompatíveis à vida.

E, posteriormente, o plástico presente nesses animais entra no nosso sistema digestivo!

Plástico Nos Oceanos - Limpeza de uma praia com garrafas de plástico

O que posso fazer para resolver este problema?

Não podemos resolver este problema sozinhos, tem de ser um esforço conjunto mas, se o fizermos, estaremos a salvar milhões de vidas.

  • Evita a utilização de plásticos de única utilização, como palhinhas e talheres descartáveis; 
  • Quando fores às compras, não te esqueças de levar os teus sacos reutilizáveis de materiais amigos do ambiente;
  • Evita produtos embalados, prefere os vendidos a granel;
  • Evita comprar recipientes de plástico, principalmente não reutilizáveis, opta por recipientes de vidro ou de aço;
  • Evita o uso de cosméticos que contenham microplásticos e aposta nas roupas biodegradáveis.

Existem muitas mais atitudes que podes tomar para que o oceano fique livre de plásticos, mas temos de começar por algum lado.

E tu? Vais assumir o compromisso?

Este post é uma transcrição do nosso episódio no Podcast EESPS. Ouve-o já!

Descobre mais episódios do nosso Podcast>>

    Deixa um comentário